Instituto Acus Natus

Nossa Equipe

Sheila Parvati

A Acupunturista e Professora Sheila Parvati é graduada em enfermagem pela Universidade Estadual do Ceará (UECE), tendo se formado em acupuntura pela Academia Brasileira de Arte e Ciência Oriental (RJ). Desde então vem estudando e se aperfeiçoando na área das terapias tradicionais chinesas, enquanto realiza atendimentos em seu consultório particular com acupuntura sistêmica e auricular, além de acupuntura aplicada a estética. As sessões de acupuntura sistêmica e auricular podem ser feitas com ou sem agulhas, dependendo da opção da pessoa a ser tratada ou da indicação terapêutica. No caso da não utilização de agulhas, as alternativas são o estímulo dos mesmos pontos de acupuntura através de ímãs (magnetoterapia); ou pastilhas de silício, mais conhecidas como ‘stiper’; ou a laserterapia, todos excelentes recursos, com resultados equivalentes aos obtidos através das tradicionais agulhas. Num mesmo atendimento, integra acupuntura, shiatsu e, de acordo com a adequação terapêutica, também lança mão da ventosaterapia, moxa e indicação de tratamento fitoterápico a partir de fórmulas magistrais de ervas chinesas. Também trabalha com orientação dietética segundo os princípios terapêuticos chineses.

 Seu consultório é parte integrante do Instituto Acus Natus – IAN, espaço onde também promove atividade ambulatorial com acupuntura e outras técnicas, oferecido ao público em geral, com destaque às comunidades de baixa renda, a custo simbólico (“Programa de Acupuntura e Terapias Orientais - PROATO”), além de cursos e eventos ligados às terapias chinesas e às terapias naturais de modo geral.

 Apaixonada por terapias chinesas (acupuntura, shiatsu, fitoterapia e outras) e saúde pública, sempre buscou conciliar essas duas temáticas no cerne de sua atuação e formação profissional. Na Especialização em Saúde da Família (UECE), por exemplo, estudou a inserção da acupuntura na saúde pública como um paradigma novo e emergente, de significativa contribuição em se tratando de humanização da atenção básica em saúde. Já no Mestrado Acadêmico em Saúde Pública (UECE), deu continuidade à sua linha de pesquisa, desta vez enfocando a relação acupunturista-paciente, num relevante e inédito trabalho etnográfico.

 A partir de 2002 passou a trabalhar na coordenação do Curso de Especialização em Terapias Tradicionais Chinesas (UECE), no qual também ministra algumas disciplinas. Desde então foram formadas várias turmas, de 2 anos e três meses cada uma. Atualmente o curso mudou o título, passando a Especialização em Acupuntura Tradicionais, para a qual as inscrições estão abertas. No mesmo período ministrou também alguns cursos de formação ou extensão, com o tema 'shiatsu e elementos básicos das terapias tradicionais chinesas'.